7 motivos para você acordar às 5 da manhã


Texto muito bacana do Tudo pela Arte

 

 

Já ouviu falar do 5am club? Sabe quão poderoso é o intervalo das 5 às 8 da manhã?

Poucas pessoas estão dispostas a acordar às 5 da manhã por escolha própria, mas é exatamente isso que fazem as pessoas mais bem sucedidas do mundo, a turma do 5am club, os “high achievers”.

Só para te dar um ideia…Tim Cook (CEO da Apple), Richard Branson (da Virgin), Robert Iger (da Disney), Howard Schultz (do Starbucks) e Benjamin Franklin são alguns dos adeptos.

Eu nunca fui uma pessoa noturna, mas quando era pequena queria ser… queria conseguir ficar acordada até tarde com meu irmão, que era o oposto de mim. Muitas tentativas em vão…

Quando fui morar com o Gabriel que, na época, tinha horários malucos por conta do poker, comecei de fato estender a noite e encurtar as manhãs. Depois, quando não tinha mais faculdade e com a rotina empreendedora, achei que seria de uma vez por todas seduzida pelos hábitos noturnos.

Mas definitivamente não. E na verdade, justamente pela visão empreendedora. Agora que meu foco era mais performance e produtividade percebi que o ideal era o oposto, esquecer a madrugada e estender minhas manhãs.

Então, recentemente voltei a me condicionar para acordar (muito) cedo. Comecei 2016 decidida a fazer parte do clube das 5 da manhã!

Por que? Vou te contar o que me fez aderir à ideia…

 

1 – A vantagem psicológica de já estar na ativa quando a maioria das pessoas ainda está sonhando

Se esse fosse o único motivo, para mim já bastaria.

Tem uma expressão muito comum no inglês que define bem isso, “head start”. A ideia é simples: quando você acorda e 99% das pessoas ainda estão dormindo você começa o dia com vantagem e sua força de vontade atinge o nível máximo. A preguiça simplesmente deixa de existir.

Quando todo mundo der a partida você já vai estar lá na frente, tranquilão…

Pensa, quantos dias você acorda já com a sensação de que está atrasado? É como começar o dia com o pé esquerdo… só que isso deixa de ser um problema quando você acorda muito cedo.

Enfim, começar o dia bem e em vantagem já é meio caminho andando para vencer a batalha, e isso é indiscutível. Por ser um fator psicológico você pode não considerar suficiente, mas é ele que cria e potencializa o 2 e o 3.

 

2 – Você começa o dia preparado

Não é apenas começar o dia antes, é começar do jeito certo.

Se você ainda não tem um ritual matinal recomendo que coloque isso nas suas prioridades o quanto antes. Você tem que tratar todos os dias da sua vida como um evento.

Assim como você se prepara para uma maratona, um encontro, uma reunião importante, você tem que se preparar para tudo, inclusive para começar o dia da melhor forma possível. Isso significa estar com suas prioridades estabelecidas e bem psicológica, física e energeticamente.

Ou seja, a ideia é começar o dia com vantagem dupla, porque começou antes e porque começou preparado. E isso age diretamente sobre o terceiro motivo…

 

3 – Potencializa sua produtividade

Por dois motivos:

Primeiro porque se você começou seu dia sem pressa e com seu planejamento feito, você pode se dar ao luxo decomeçar pelas tarefas mais importantes, e não pelas urgentes (que vão chegar até você quando o mundo acordar).

O que é importante gera não só mais resultados, mas também a sensação de eficiência, competência e realização. Tudo que é urgente suga energia, gera cansaço mental, e muitas vezes nem traz retorno significativo. Por isso, quanto menos você agir nesse estado de urgência melhor para você e para os seus resultados.

E segundo porque quando você se prepara e se planeja você começa o dia focado nas suas coisas e não fica vulnerável (ou dependente) a agenda dos outros. Você cria o cenário perfeito para começar o dia no modo ação e não no reação, e esse é um ponto chave para sua produtividade.

Dica: Se você conseguir dedicar as duas primeiras horas do seu dia para VOCÊ sua produtividade vai dar um salto impressionante. Coloca o celular no modo avião, nem pense em ligar a TV ou o rádio para saber das notícias. Se permita esse tempo… faça coisas que te dão prazer, que trazem conhecimento e pode, planeje-se e conecte-se, isso é poderoso.

 

4 – Te permite aproveitar melhor a paz e o silêncio

O período da manhã cria o ambiente perfeito para você trabalhar ou estudar em paz e em silêncio.

Não é apenas o silêncio do ambiente e o privilégio de não ser interrompido ou desfocado por nada, mas também aquietude mental.

Logo que você acorda sua mente está calma, clara, livre, e a medida que os estímulos externos vão chegando ela vai se poluindo, desfocando. Quanto mais você conseguir aproveitar da sua mente nesse estado, melhor para você… mais produtividade, mais insights, mais controle (emocional e de energia) para o resto do dia.

Estamos vivendo num rirtmo cada vez mais acelerado, tudo muito dinâmico e imediatista e, portanto, fica cada vez mais difícil manter (ou conquistar) esse momento próprio, em silêncio e produtivo. Por isso, acredite, essas primeiras horas do dia são muito valiosas.

 

5 – Você vai ser mais feliz

Um estudo publicado na NCBI – National Center for Biotechnology Information – mostrou que pessoas com hábitos noturnos são 3 vezes mais propensas a ter depressão comparadas àquelas que são “do dia”.

De acordo com as pesquisas quem dorme e acorda tarde tende a ter mais pensamentos negativos e preocupações.

Uma vez que você acordou tarde você não tem como recuperar o tempo que já perdeu, e isso gera a sensação de que está menos no controle da sua vida do que gostaria. Aí acarreta coisas já citadas: estar sempre com pressa, sem planejamento, sem ter tempo para se programar e entrar no estado de espírito certo para cada momento.

Segundo esse estudo isso gera uma baixa na auto confiança e a pessoa vai dormir sem a sensação de dever comprido, sem o sentimento de satisfação, o que obviamente abala a busca diaria pela felicidade, que já comentei nesse outro post.

Enfim, como a forma como você inicia seu dia sempre influencia como ele vai prosseguir, o efeito bola de neve vai depender de como ele começou.

E os estudos mostram que quem acorda cedo consegue potencializar seu desempenho ao longo dia, o que gera mais satisfação na hora de dormir, mais motivação para fazer o mesmo no dia seguinte e mais felicidade de modo geral.

Isso significa que se você dorme e acorda tarde você vai ser infeliz e depressivo? Obviamente não. Significa apenas que pode fluir melhor e ficar mais leve se você se adaptar a novos horários.

 

6 – É mais saudável

Você se exercita de manhã ou de noite?

É bem comum ver pessoas que até começam uma rotina de exercícios, mas depois desanimam porque chegam muito cansadas do trabalho e não tem mais pique.

Se você não entrar para essa estática, ótimo, mas ainda assim não deixa de haver um probleminha aí: exercício a noite te deixa agitado e atrapalha a qualidade do seu sono.

Especialistas dizem que se você dorme cedo e acorda cedo seu corpo entra em sintonia com o ciclo circadiano, período de um dia (24 horas) no qual se completam as atividades do ciclo biológico dos seres vivos.

Controlado pelo núcleo supraquiasmático, área cerebral localizada no hipotálamo, ele é nosso relógio biológico: regula nossos padrões de sono e apetite, o estado de alerta, temperatura do corpo, ondas cerebrais, produção de vários hormônios, níveis de glicose e insulina, regeneração celular e ainda muitas outras atividades biológicas.

Os principais hormônios relacionados ao sono que são afetados por esse reloginho são a melatonina (que gera sonolência e baixa a temperatura do corpo) e o cortisol. Quando funcionando corretamente a liberação de melatonina ocorre em oposição a luz do sol, e quanto mais esses hormônios funcionam corretamente mais reparador é seu sono.

circadian rhythm image

 

A solução? Fazer como os high achievers fazem ao redor do mundo: levantar (muito) cedo, antes da família acordar e de começar a rotina de trabalho, e iniciar o dia assim: em vantagem, respeitando seus ciclos biológicos e fazendo exercícios sem atrapalhar o sono (fora que assim já começa o dia com outro gás).

Gosto de acordar e fazer 30 minutos de caminhada lendo um livro (quando estou na esteira) ou ouvindo um audiobook (quando estou por aí). Esse ritual faz parte das minhas manhãs e das do Gabriel há anos (das dele mais ainda), e é top porque é 3 em 1: desperta o corpo, a mente e não atrapalha o sono :). Fica aqui a sugestão!

Bom, acho que se parasse por aqui você já teria muitos motivos para apostar no 5am club né. Pelo menos um teste de alguns dias/ semanas já ta dando vontade de fazer, ou não?

Mas para mim agora vem a cereja do bolo, o que no fundo mais me motivou a começar isso já, sem mais desculpas ou prorrogações…

 

7 – É uma questão de maestria

De disciplina, de organização, de estar no controle das suas tarefas, com total clareza dos seus objetivos… enfim, 100% comprometido com a sua arte. Com fazê-la cada dia mais e melhor.

Tudo isso são elementos poderosos de maestria… de auto-controle, aperfeiçoamento, lapidação. É você começar a agir como um profissional e não mais como amador. É como o Gabriel sempre diz, “quando você se importa você vira profissional”. A cada dia essa frase faz mais sentido para mim.

E eu imagino que você também se importe muito com a sua arte, mais do que com qualquer outra coisa. Então está aí o maior motivo para entrar para o clube.

Richard Branson, o fundador do grupo Virgin e um dos maiores empresários do mundo (seus investimentos vão da área da música e vestuário, até biocombustíveis e viagens aeroespaciais) fala que acordar ainda de madrugada é mais um sintoma de uma doença chamada paixão:

“Nós não acordamos às 5am porque temos muito trabalho para fazer, ou porque queremos falar paras pessoas quão “hard-working” nós somos (…) é sobre fazer tudo dando o seu máximo para o seu negócio ser bem sucedido; e se isso significa que você tem que acordar num horário incomum para a maioria, então é provável que você comece a gostar do nascer do sol”.

É isso. É arte, maestria e vontade de viver todo dia no seu máximo, fazendo o máximo. É assim que eu entendo o 5am club. É muito mais do que os benefícios fisiológicos, psicológicos, ou mesmo de produtividade. Tem um significado intrínseco, único para cada um.

E se você estiver pensando que isso é exagero, que é um pouco radical mais… acertou o mindset, é isso mesmo. Nenhum profissional joga leve, eles vão com tudo.

E é por isso que eu digo que você deveria pelo menos tentar começar a acordar (muito) cedo todos os dias… por todos os motivos citados a cima, mas principalmente para elevar sua arte a máxima potência.

Se precisar de uma ajuda tem até um App que você pode usar!

E se a ideia despertou seu interesse, independente de por qual motivo, me conta aqui nos comentários. Dependendo posso fazer um outros post com dicas para como acordar cedo e se manter consistente nisso!

E se já você já é uma pessoa que acorda muito cedo, conta aqui também como faz para manter isso e quais considera serem os maiores benefícios :)

Anúncios

WINDOWS SERVER 2016 TECHNICAL PREVIEW – Ebook


Opa,

Depois de alguns meses sem nenhuma postagem, tentarei retomar.

Link para baixar um ebook sobre o novo Windows Server 2016 Technical Preview a ser lançado em Setembro.

 

http://aka.ms/WServ16PE/StdPDF

Abs

 

Resoluções para 2016: Pense bem antes de investir em uma nova solução de TI


As empresas estão cientes das novas tecnologias disponíveis, mas acrescentar uma nova solução é algo que precisa ser bem pensado. Comumente as empresas investem seus recursos em tecnologia sem estarem prontas o suficiente para extrair todo o potencial das soluções contratadas. E isso pode virar um grande problema.

Comece pelo simples. Ter uma visão clara da realidade da companhia é basilar para a construção de uma estratégia sólida de TI. Saber como os profissionais lidam com tecnologia, qual seu grau de capacitação e, pontualmente, como e onde poderão tirar mais proveito das soluções. Os funcionários são essenciais para o sucesso da implantação e é fundamental que eles ‘comprem’ a ideia e se ambientem o mais rápido possível às mudanças culturais que virão com a inovação. Além disso, deve-se investir recursos e esforços em treinamentos e, principalmente, construir uma Política de Segurança consistente, tendo em mente que os processos e rotinas terão de ser redesenhados e melhorados.

Cloud e mobilidade, por exemplo, são duas grandes tendências de mercado. Mas, à medida que as companhias inserem na internet cada vez mais dados estratégicos, mais expostos a ameaças estão. Sem equipamentos e soluções de segurança completos, como firewalls potentes e sistemas de monitoramento confiáveis, a flexibilidade que a nuvem permite pode acabar se tornando uma “espada de dois gumes”.

Já Software como Serviço (SaaS) traz grandes vantagens, mas também necessita de cuidados. Além da redução de custos tanto de implantação quanto de manutenção, neste modelo, a empresa pode manter uma infraestrutura interna de TI focada no negócio e menos preocupada com a parte técnica, ao contrário do que ocorre no modelo tradicional. Mas, antes disso, é fundamental que se conheça as opções para personalização (espaço para armazenamento, suporte…), entender como será a integração dos serviços e conhecer a segurança física dos datacenters contratados.

Não se deve dar um passo maior que a própria perna. Adquirir ferramentas de tecnologia sejam de BI, Cloud, Segurança… requer um certo grau de maturidade e infraestrutura necessários para que deem os resultados esperados e/ou forneçam informações que irão influenciar tomadas de decisões assertivas. Um trabalho de base é essencial para montar uma estrutura de TI adequada às necessidades das companhias e, com isso, alçar voos mais altos e agregar valor ao negócio. Antes de contratar TI, avalie muito bem.

(*) Luciano Schilling é diretor de negócios da NGXit

Fonte: CIO

Abs

Luiz

O marketing como área corporativa precisa ser inovado


O marketing que conhecemos, com suas idiossincrasias e desgovernanças irá acabar logo. Por quê? Porque é antieconômico, porque não gosta de indicadores, porque tem alergia de controle, porque gasta demais, porque tem entregado de menos. Exceções à parte, o que era para ser o motor mercadológico e de inovação das empresas, acabou se especializando em engordar e se entender mais importante do que realmente é.

O mercado demanda mudanças drásticas, impondo a inovação como resposta para este “Novo Marketing”. Essas mudanças para o marketing atual serão conceituais, de expectativas, de estrutura e de orçamento. Ou seja, será mais governança e menos festa! Mais raciocínio e menos energia!

As principais tendências que nortearão a inovação para este Novo Marketing compreendem a fatores ligados a questões econômicas, sociais, de consumo, de tecnologias, mídias, canais e de modelos de negócio, dentre outras. Vejamos algumas das principais:

–  Globalização -> Meta-Concorrência -> Agilidade -> Melhores Líderes -> Melhores Decisões

–  Revisão das Premissas e Modelos de Negócio e Competitivos

–  Capital Intelectual como Fonte de Valor Corporativo

–  Exigência por Transparência e Melhores Práticas de Governança Corporativa, Sustentabilidade e Construção de Reputação

–  Pressões por Resultados de Curto-Prazo x Perenidade do Negócio

–  Forte Gap entre Planejamento Estratégico e Execução (Insuficiência do BSC)

–  Obsessão por Eficiência Orçamentária

–  Necessidade de Gestão de Relacionamentos de Alto Valor com os Diversos Stakeholders

–  Obrigatoriedade na Mensuração de Intangíveis: Investimentos Racionais e Resultados Mensuráveis em Marketing, TI, Internet, RH e demais “Centros de Custos”

–  Demandas crescentes por Inteligência do Negócio e Conhecimento “Ready to Use”

–  Consumidor 2.0, Web 2.0, Colaboração, Redes Sociais, Comunidades e o Novo Varejo

–  Marketização das Classes C, D e até E, incentivando o consumerismo para alguns produtos e serviços

–  Visão de Clusterização de Clientes em Substituição à Segmentação

–  Adesão às Novas Tecnologias, Mobilidade, Convergência, etc.

Fonte: Estudo “O Novo MKT” – DOM Strategy Partners

E quais são os impactos destas tendências na atual estrutura do marketing nas empresas? Quais fardos se apresentam para serem carregados?

A Reputação Corporativa, certamente, assume o papel central nesta tsunami estrutural que inovará o marketing como área ou departamento.

Não é exagero afirmar, hoje, que as empresas estão forçadas a administrar sua “Conta Corrente Diária de Reputação” (institucional e de suas marcas), que se torna negativa ou positiva em função da resultante da somatória de opiniões, análises, percepções e expectativas que os diversos stakeholders da empresa, geradores de mídia, constroem e reverberam de forma global e instantânea no universo móvel, colaborativo e multicanal parametrizado pela chamada Web Social ou 2.0, sua blogosfera, Sites de Buscas, Redes e Comunidades, Celulares e Smartphones habilitados nas redes, além, é claro, de seu efeito de replicação imediato nas mídias tradicionais, como TV e rádio.

Gerenciar esta conta corrente não é tarefa fácil, assim como não é missão das mais tranquilas interagir com qualidade e valor com os diversos stakeholders corporativos. Definitivamente, as empresas não estão preparadas para isso, seja por conta de mind-set e valores estratégicos corporativos desatualizados, seja por conta de um chassis de processos, sistemas e arquitetura organizacional desajustado do novo ecossistema em que competem.

Entretanto, gerenciar essa conta corrente da Reputação e transformá-la em resultados superiores (vender produtos melhores que os concorrentes para clientes mais fiéis, gerando mais valor ao acionista e market share para empresa) é tarefa do Novo MKT – O MKT de Contexto, que, em nossa visão, será pautado por seis pilares estratégicos, somados aos tradicionais conceitos “Ps” historicamente associados ao Marketing. Estes seis pilares são:

 marketing1

Ao assumir esta postura Customer Centric, as empresas certamente passarão por redefinições de estratégia e convocatórias em seu marketing.

A equação do Novo Marketing, o MKT rachado pela inovação imposta pelo “mundo exterior”, o MKT/2 é: MKT de Contexto = MKTReputação X MKTRelacionamento.

A equação acima imporá novas estruturas organizacionais e funcionais, além de novas atribuições, skills, abordagens e métricas específicas.

Esse modelo presume que todas as iniciativas, ferramentas e projetos de marketing sejam organizados estrategicamente, orçamentária e em termos de gestão em um nível superior ligado diretamente do centro decisório da empresa, responsáveis por coordenar as duas vertentes distintas e complementares do Novo MKT: o MKTReputação, centrado no branding, organizado em torno da relação dos diversos stakeholders com os atributos e valores das marcas corporativas e de produtos da empresa e o MKTRelacionamento, centrado no suporte a vendas, ligado, em toda extensão do Customer Life Cycle, aos diversos Clusters de Clientes e aos Produtos e Serviços da empresa, que consomem ou podem vir a consumir.

Assim, com o futuro “Diretor” de Reputação ficam atribuições e práticas como Comunicação Corporativa, Branding, Relacionamento com Stakeholders, Patrocínios, Eventos, MKT Cultural, Social, Esportiva, MKT de Causas, etc. Já com o futuro “Diretor de Relacionamento” ficam Propaganda, Promoção, Pré Venda, Suporte, Pós Venda, CRM, Call Center, MKT Direto, etc, mesmo que este “Diretor” seja um único “Diretor ou VP”, mas com duas estruturas apartadas em metas, modelo de gestão e indicadores de performance e valor.

Como todo modelo propositivo, esta estrutura não é definitiva, nem tampouco estática. E cada empresa deve adequar estes conceitos à sua estratégia, setor de atuação, dinâmica de mercados, nível de concorrência e perfil de clientes.

Em nossa visão, uma nova era começa para o Marketing.

Cabe ao CEO e ao executivo de marketing (VP, Diretor, CMO) analisar seus respectivos cenários, tomar suas decisões, acreditando ou não nesta proposta sugerida. De qualquer forma, fica o compromisso: daqui a três anos conversamos, novamente, e medimos o quão acertadas foram nossas análises aqui faladas.

(*) Daniel Domeghetti é CEO DOM Stratety Partners

Fonte: CIO

Abs

Luiz

Migrando o DHCP entre servidores


Em algum momento na vida de um administrador de redes, será necessário realizar uma migração de um servidor DHCP.

Seja algum projeto, uma instalação temporária, uma atualização de sistema operacional.

Neste artigo, iremos verificar os passos necessários para migrar a função DHCP entre servidores, com o menor esforço administrativo.

 

Mais um conteúdo criado no blog do Anderson Patricio.

Confira!

 

Abs

Luiz

Como voltar ao mercado de trabalho quando se é qualificado demais


A maioria das pessoas que procuram emprego teme não ser qualificada o suficiente para o cargo. Agora, o que acontece quando se é qualificado demais para uma tafera? Profissionais podem desejar uma posição inferior por uma variedade de motivos: redução no ritmo de trabalho, maior contato com tecnologias novas, mais tempo com a família ou para voltar a estudar. Na maioria das vezes, porém, a razão costuma ser uma fuga das disputas por liderança corporativa, aponta Jon Mazzocchi, diretor da WinterWyman.

Qualquer que seja o motivo, sempre há a possibilidade de um recrutador desqualificar o seu currículo por sua experiência estar além do que é exigido para determinada vaga. Nem sempre isso diz respeito a questões de idade ou discriminação, mas por medo que você se entedie por falta de desafios, diminuindo sua produtividade e até mesmo deixando a empresa.

Você também pode ser mais qualificado que o contratante, adiciona Mazzocchi. “Recrutadores são menos inclinados a considerar pessoas com mais experiência, conhecimento e habilidade que eles”. Conseguir um emprego para o qual tenha qualificações demais pode ser difícil, mas não é impossível. A questão se resume a estratégia que deve privilegiar. Listamos algumas abordagens abaixo.

Atenue seu currículo
Não se deve mentir no currículo, seja ao adicionar ou encobrir informação, mas alguns elementos podem ser omitidos caso deseje diminuir suas qualificações para disputar uma vaga para o qual se considera qualificado demais. “As pessoas empregam técnicas para retirar informações de seus CVs. Você pode omitir os primeiros trabalhos se quiser. Ao invés de colocar datas de graduações, só coloque os institutos frequentados”, sugere Mazzocchi.

Você também deve estar preparado para responder honestamente sobre qualquer data ou emprego anterior caso lhe seja perguntado, mas essa técnica pode prevenir que os recrutadores desconsiderem seu currículo em uma primeira análise. A tática é especialmente útil caso deseje migrar para outra indústria, opção que lhe daria uma margem maior para mexer em seu CV, posicionando suas experiências para o trabalho desejado ao invés do cargo mantido atualmente.

Evite despertar suspeitas
Antes de diminuir seu currículo, você precisa prevenir qualquer suspeita da pessoa que o analisa. “Existem sinais para os recrutadores. Quando veem que alguém começou em 2005 e o primeiro cargo foi como gerente ou diretor, eles assumem que a pessoa seja mais do que isso”, explica Mazzocchi.

Isso é especialmente válido na era dos registros digitais. Se o seu currículo não condiz com sua página no LinkedIn ou outras redes sociais, as mudanças podem lhe fazer um desfavor. Você não quer começar mal, com um recrutador suspeitando de suas motivações.

A redatora de currículos Kelly Donovan aconselha evitar mudanças em títulos de cargos, que podem ocasionar rápidas rejeições caso uma empresa descubra que você listou uma posição diferente. Ao invés disso, ela sugere a omissão do número de pessoas e verbas gerenciadas, bem como suas responsabilidades em cada função.

Autopromoção
Se você deseja um cargo inferior a suas qualificações, deve estar preparado para explicar claramente seus motivos para o recrutador. Considere isso como uma autopromoção. Seja na entrevista, na carta de apresentação ou no currículo, convença o gerente de contratações das intenções por trás da sua possível mudança de função, considerada um retrocesso.

De acordo com a redatora de currículos Cheryl E. Palmer, você pode fazê-lo ao inverter a lógica da entrevista. “Pergunte ao empregador o que ele procura em um candidato. Isso lhe permitirá saber as habilidades necessárias, informação que pode ser usada para aliviar preocupações que ele possa ter a seu respeito”.

Esclareça suas intenções
Não seja tímido quanto a suas intenções. O recrutador provavelmente terá ressalvas a seu respeito, como sua permanência pretendida ou a falta de desafios – todas boas razões para não contratar alguém. Evite isso ao esclarecer logo de cara seus motivos para querer o trabalho, ajudando-o a compreender suas intenções.

É provável que os responsáveis por analisar seu perfil tenham medo de que você largue a vaga pela primeira oportunidade de um salário maior. Explique que deseja uma posição menor e por quanto tempo planeja permanecer nela.

As empresas não procuram pessoas que desejam permanecer por pouco tempo ou que se entediem facilmente. Elas querem alguém que invista na posição e que apoie a equipe. Deixe que saibam que você tem toda a intenção de levar o emprego a sério.

Tente uma mudança de função interna
Uma transferência interna pode ser mais bem sucedida do que o envio de seu currículo para empresas que não sabem quem você é. A sorte tende a ser maior na companhia que já conhece seus pontos fortes e tem provas documentadas de seu sucesso. Caso você esteja feliz em sua empresa atual, mas deseje uma mudança de ritmo, averigue como seria trabalhar em outros departamentos.

A maioria das empresas não quer perder funcionários, mesmo que isso signifique deixá-los transitar entre departamentos, assumindo outras funções. Você já tem conhecimento sobre a operação do negócio e às vezes pode ser útil a ele ao descobrir como são os demais setores. Se for sortudo o suficiente, a organização pode até mesmo deixá-lo criar seu próprio cargo dentro do departamento escolhido.

Networking
Se você não está tendo sucesso com os métodos tradicionais, tente recorrer à sua rede profissional. Isso pode ajudá-lo a ingressar em uma empresa, caso alguém de dentro defenda seu caso. É uma tática semelhante à transferência interna, mas que lhe permite começar de novo em outra organização.

“Quando você é recomendado por alguém de dentro, isso pesa na confiança que o recrutador tem em você como candidato”, assinala Cheryl. Sua rede de contatos e colegas também tem história com você e pode compreender melhor seus objetivos e ética de trabalho. Tente abordar conhecidos para aumentar suas chances de conseguir um posto para garantir não ser desconsiderado por sua experiência.

Não fique desencorajado
A coisa mais importante a ser lembrada é evitar ser desencorajado. Se você não está obtendo sucesso com o envio de seu currículo ou apelando para conhecidos, talvez deva reconsiderar sua abordagem. Você pode tentar falar com pessoas na indústria que lhe interesse para obter uma noção mais apurada sobre as habilidades e experiências que deve realçar em seu currículo.

Fonte: CIO

Abs

Luiz

Identificando origem do bloqueio de logon de rede


Outro post técnico no blog do Anderson Patricio

Identificando origem do bloqueio de logon de rede

 

Em um ambiente de rede com Active Directory, o administrador de redes irá definir as políticas de segurança do que é relativo a políticas de contas de rede.

Uma das configurações aplicadas é o bloqueio de conta por tentativa de acesso, onde iremos definir quando uma conta de rede é bloqueada, depois de X tentativas de logon sem sucesso.

Portanto, é interessante saber como identificar um bloqueio de conta.

Neste artigo, iremos ver como analisar dentro do Event Viewer os logs de bloqueio de contas por tentativas erradas.

 

Acesse o conteúdo no blog do Anderson!

 

Abs

Luiz