Devemos terceirizar a análise de dados?


Estamos todos familiarizados com o modelo tradicional de terceirização – a contratação de prestadores de serviços externos para lidar com infraestrutura e manutenção, na esperança de reduzir custos e liberar a equipe de TI para se concentrar em atividades de maior valor para o negócio. Mas algo semelhante está acontecendo com a análise de dados: as empresas estão começando a completar as suas capacidades analíticas usando provedores externos.

Isso é bom ou ruim? Devemos ou não devemos terceirizar ciência de dados? A discussão está esquentando entre os executivos C-level.

A resposta deve considerar algumas possibilidades (terceirizar totalmente a análise de dados, terceirizar parcialmente, terceirizar a parte de modelagem e ciência de dados), características da organização (sua política interna, a credibilidade da liderança de TI, a capacidade de execução, a maturidade de requisitos de negócio) e também características do dado (quão sensível é; quão incomum, etc).

Para cada área e necessidade de negócio (transformação vs estratégica vs tático) existem diferentes fornecedores de serviços de análise de dados.

Em uma recente reunião da Society for Information Management’s Advanced Practices Council, os pesquisadores Gabe Piccoli (Universidade de Pavia) e Federico Pigni (Grenoble École de Management) comentaram sobre uma startup chamada Versium – um exemplo de empresa que oferece esta nova geração de serviços de análise de dados. Segundo eles, a Versium pode combinar dados próprios de uma empresa com a coleta de dados de clientes e aplicar análise preditiva para melhor encontrar, compreender e reter clientes.

O data warehouse da startup tem mais de 300 bilhões de informações sobre consumidores, coletadas online e offline, tais como interesses de compra, comportamento de mídia social, demografia, grau de instrução, estado civil, classificação financeira e mudanças de vida que podem desencadear novas compras. Estes atributos são combinados com dados da empresa para produzir escores preditivos e de inteligência de mercado.

Os escores preditivos incluem possibilidades de ocorrência de fraude (quem está tentando enganá-los?), contagens de churn (quem tem mais probabilidade de cancelar um serviço ou deixar de adquirir um produto?), influenciadores sociais (quem e como afetam o comportamento de outros clientes?), indicadores de riqueza (qual é o poder de compra dos consumidores?), adeptos de descontos, etc.

Vantagens
De acordo com Piccoli e Pigni, a terceirização de Analytics pode acelerar a entrega de novos serviços, proporcionar acesso a tecnologias avançadas, e dar acesso às habilidades de cientista de dados, notoriamente difíceis de adquirir e manter em casa. Pode  também ser uma solução de curto prazo, enquanto a empresa descobre a sua estratégia futura de análise de dados. Mas requer alguns cuidados. Entre eles, termos contratuais que protejam informações e práticas competitivas.

Hoje, provedores terceirizados de análise que servem muitas indústrias, incluindo varejo, telecomunicações, saúde, etc. Geralmente fornecem aos clientes expertise em marketing orientado a banco de dados e segmentação de clientes.

A Hertz, por exemplo, terceiriza a seleção e o fornecimento de dados não gerados pela empresa, bem como os processos de gerenciamento, modelagem e análise desses dados.

Cuidados
De acordo com estudo recente do MIT, cada vez mais os fornecedores estão sendo capazes de oferecer soluções horizontais e verticais eficazmente embaladas em uma variedade de configurações. Também estão se tornando mais sofisticados à medida que ganham experiência em lidar com grandes conjuntos de dados, complexos.

Mas, para dar certo, a terceirização da análise de dados requer que a negociação e a evolução deste relacionamento defina claramente quem faz o quê, quem possui o quê e como cada uma das partes pode utilizar as informações que tem.

Algumas das questões a considerar são:

1 – Que capacidades de análise únicas a empresa de outsoursing por fornecer. Muitos provedores de análises de dados offshore têm algo adicional a ensinar e proporcionar, mesmo para os clientes com estruturas próprias de análises de dados sofisticadas.

2 – Que processos ela segue para proteger a propriedade intelectual do cliente.

3 – Como a empresa de outsourcing vai garantir a confidencialidade, integridade e segurança dos dados da contratante.

4 – Qual é a sua taxa de retenção de analista e como ela monitora as medidas de satisfação dos funcionários.

5 – Se existe a possibilidade de ter analistas dedicado ao negócio do cliente ou se é possível estruturar o contrato para contratar os recursos de análise iapós um determinado período.

Fonte: CIO

Abs

Luiz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: