Como ser inovador sem descuidar da segurança da informação


No passado, estávamos acostumados a somente ter acesso à tecnologia em nosso ambiente de trabalho. Hoje, o oposto é verdadeiro, pois levamos as últimas tendências tecnológicas para nossas empresas e, em geral, para a palma de nossas mãos.

A revolução tecnológica dos últimos anos trouxe grandes inovações nos segmentos de redes sociais, mobilidade, nuvem e na geração exponencial de informação. A consumerização facilitou a utilização dessas tecnologias quase que de forma universal, em especial nos inúmeros dispositivos móveis que utilizamos, e transformou o nosso comportamento. O instituto de pesquisas Gartner descreve esse fenômeno como o “Nexus das Forças”.

As redes sociais são um dos principais exemplos de como a consumerização transformou o ambiente das empresas. A convivência simultânea de atividades pessoais e profissionais e o compartilhamento de informações influenciam as nossas ações diárias, como compras e utilização de serviços.

A mobilidade permitiu a adoção em massa de tecnologias, provocando mudanças significativas na infraestrutura e segurança da informação das empresas. Por exemplo: a computação em nuvem fornece os recursos necessários para atender a demanda por informações, que podem não estar fisicamente em apenas um único lugar, e sim em todos os lugares. Essas tendências transformaram o consumo da informação, permitindo o acesso para qualquer pessoa a partir de qualquer lugar ou horário.

Em recente estudo denominado “Ambiente de Trabalho Conectado”, a consultoria Deloitte concluiu que esses benefícios reduzem a rotatividade de profissionais. Da mesma forma, os investimentos em TI também são reduzidos com soluções flexíveis e inovadoras de tecnologia e segurança da informação. Um dos pontos em comum entre as empresas entrevistadas para o estudo é que todas encorajavam o uso de tecnologias de compartilhamento e colaboração da informação.

Nos últimos anos, as empresas vêm identificando que outros benefícios, além dos tradicionais, como salários e bonificação, têm atraído e retido profissionais talentosos. Funcionários consideram, por exemplo, a oferta de sistemas atualizados e seguros de TI. Os sistemas de colaboração remota de diversos times e em tempo real, sistemas de comunicação unificada, como vídeo conferência e voz de qualquer lugar, bem como a utilização e acesso a informação de dispositivos pessoais, aumentam a satisfação e eficiência dos colaboradores.

O reconhecimento e a aceitação dessas tendências são fundamentais para a segurança da informação e para os negócios da empresa, pois permitem o aproveitamento de novas oportunidades, a redução de riscos e a garantia de um futuro competitivo. O desenvolvimento de uma cultura voltada para inovação apoiada pela segurança da informação permite que as empresas se adaptem e evoluam para serem competitivas. Essas mudanças demandam inovações nas estruturas organizacionais e geram novas oportunidades de negócios.

Inovar é implantar algo novo ou melhor. Sua classificação varia de acordo com a novidade da mudança, podendo ser inovações incrementais menores até mudanças realmente radicais, ou disruptivas, que transformam a forma como vemos ou utilizamos os recursos.

As inovações incrementais incorporam alguns novos elementos em relação ao anterior e por isso são mais fáceis de serem mensuradas em termos de geração de resultados para a empresa. Trata-se da inovação mais comum e mais fácil de ser alcançada, tornando-se uma necessidade que deve ser feita continuamente para manter a competitividade no mercado.

As inovações disruptivas talvez sejam as que trazem mais retornos para a empresa, mas ao mesmo tempo os resultados são difíceis de mensurar, pois quebram paradigmas e o comportamento não é linear, tornando difícil a previsão do futuro ou resultado da inovação.

Portanto, a inovação tecnológica deve ser preocupação e responsabilidade de todos os setores da empresa, em especial a segurança da informação, devido à dinâmica e competitividade atual dos negócios.

O foco nas mudanças das perspectivas e a realização de ações inovadoras para integrar a segurança da informação aos negócios são essenciais para:

  1. Permitir ao invés de controlar
  2. Interconectar ao invés de restringir
  3. Tornar possível ao invés de prevenir
  4. Adaptar ao invés de reagir
  5. Focar nos usuários e não na tecnologia

Estas mudanças, apesar de complexas, são essenciais para habilitar o futuro dos negócios em nosso mundo interconectado e tecnológico, observando e interagindo com os usuários e parceiros, para aumentar e criar novas formas de valor.

Em todo o mundo, empresas estão descobrindo que incentivos à flexibilidade e à inovação nos ambientes de trabalho tendem a ser o diferencial na retenção dos talentos e competitividade nos negócios. Esse novo cenário já é realidade e veio para ficar.

 

(*) Pedro Vieira é gerente de produtos da Arcon serviços gerenciados de segurança da informação

 

Fonte: CIO

 

Abs

Luiz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: