Faça o que você gosta, e o dinheiro virá…


Para alguns poucos sortudos, fazer o que você gosta realmente dá dinheiro, mas a dura realidade é que, com muita frequência, as coisas que nós amamos fazer não são as coisas que são recompensadas financeiramente em nosso mundo materialista. Artistas, músicos, inventores – todos os tipos de pessoas com enorme talento criativo – podem passar anos tentando ver alguma recompensa por seus esforços, e talvez isso nunca aconteça. Não é todo mundo que consegue transforma um sonho em uma fortuna inimaginável com apenas 25 anos de idade.

E o resto de nós? Nós deixamos nossos sonhos de lado. Nós precisamos de uma renda fixa para sustentar nossas famílias ou para manter o padrão de vida a que nos acostumamos. O que nós realmente amamos se torna um “hobby” ou “algo que nós gostaríamos de fazer um dia”. Mas a que preço? Devemos ignorar o fato de que, lá no fundo, estamos querendo fazer qualquer outra coisa em nossas vidas? E será que não há um jeito de combinarmos o que realmente amamos fazer com o trabalho que temos fazer para pagar as contas?

Quais são suas opções?
Ninguém pode ver o futuro e ter absoluta certeza de poder transformar o que ama fazer em um sucesso financeiro. Obviamente, há riscos; talvez transformar o que você ama em uma carreira deixe isso muito parecido com um emprego normal, o que acaba com toda a diversão. Ou talvez você descubra, depois de começar, que você não é realmente muito bom nisso – ou que ninguém quer investir nisso. Mas, se você não tentar, nunca saberá!

Opção 1: Faça – agora
Saia do seu emprego e faça o que você ama, custe o que custar – mas saiba que isso é um grande risco e que você provavelmente vai fazer o que ama às custas das pessoas que ama. É por isso que é muito mais fácil seguir seus sonhos quando você é muito jovem e não tem nenhuma responsabilidade ou dependente. Então, por que ir adiante, quando você tem mais a perder? A resposta é: o mundo é duro, e você só deve desistir de tudo para dar o grande passo se você puder realmente arcar com uma possível falha sem machucar a você mesmo ou a outras pessoas.

Opção 2: Espere
Outra opção é esperar até que você “realmente possa” desistir do seu emprego. Mas o perigo aqui é de você nunca dar o primeiro passo, porque ficará com medo de perder o que você tem (o que tende a aumentar com o passar dos anos). E isso tende a trazer sentimentos de frustração, conforme o tempo passar e seu sonho continuar sendo apenas um sonho.

Opção 3: Comece devagar
A pessoa mais segura financeiramente é aquela com várias fontes de renda diferentes. Então, mantenha todas as portas abertas: comece agora e vá dando um passo de cada vez. Assim, você não precisa escolher entre o seu sonho e o seu trabalho – você pode fazer ambos, ajustando seu sonho à sua vida cotidiana. Não pense no que pode acontecer ou tente adivinhar o futuro – apenas dê o primeiro passo para fazer as coisas acontecerem. Você vai poder sentir o clima e ver se há um mercado para a sua ideia, sem se arriscar muito. Continue por seis meses e avalie o seu progresso. E nunca se sabe: você pode até acabar conseguindo dinheiro suficiente para dedicar todo o seu tempo ao seu empreendimento.

E, antes de começar, lembre-se de nossas três dicas úteis:

1. Faça um roteiro
Faça um plano de ação e defina objetivos claros e realistas. Não seja ambicioso demais! Os pequenos objetivos são muito melhores do que aqueles gigantescos. Divida os objetivos em etapas alcançáveis e verifique seu progresso regularmente (por exemplo, toda semana). Conforme o tempo passar, você poderá ver, com muito mais clareza, se a sua ideia pode ou não se transformar em algo que gere uma renda fixa. E, se não estiver funcionando, reconheça que é hora de parar, antes que você invista muito tempo e energia nisso.

2. Trabalhe duro
É o que você ama fazer, mas o seu trabalho dos sonhos ainda é um trabalho, e você deve estar preparado para fazê-lo funcionar. Esteja você trabalhando nisso em horário integral ou apenas de tarde ou de fim de semana, separe um tempo fixo para se concentrar somente na sua ideia e em nada mais. Não tente trabalhar nisso quando você estiver no seu emprego normal: isso vai distrair você e pode causar sérios problemas com o seu empregador, especialmente se você tentar usar equipamento ou espaço do escritório para seus próprios fins.

3. Ame o que você faz
Se o mercado para a sua ideia já está saturado ou se você não tiver confiança de que você pode ganhar o suficiente fazendo o que você ama, talvez você possa começar a amar o que você já faz. Tente identificar que elemento do seu trabalho você mais gosta e explore meios que podem permitir que você aproveitar melhor isso. Talvez você possa fazer um treinamento ou assumir novas responsabilidades que abram possibilidades para você explorar sua criatividade. Encontre colegas que compartilhem seus interesses e fale com seu gerente – eles podem ser mais receptivos do que você pensa em relação à sua iniciativa.

O que quer que você faça, aproveite – essa é a chave para uma vida feliz e plena. Então, mantenha o equilíbrio na sua vida profissional e verifique, de tempos em tempos, só para garantir que você ainda está no caminho em que deseja estar. E se você tiver um sonho? Bem, como dissemos, se você não começar, nunca saberá – e seu sonho continuará a ser apenas isso, nada mais.

Então, vale a pena tentar, não?

Fonte: HP

Abs

Luiz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: